Razões pra assistir “Love”, seriado novo do Netflix

Em um final de semana assisti todo a primeira temporada de “Love“, o novo seriado do Netflix. Sim, pra quem não me conhece ainda, sou “apaixonadérrima” por seriado, e fico de luto quando eles acabam, e fico histérica esperando as próximas temporadas.

Só que seriado e filme pra mim tem um negócio meio assim: tenho que ir com a cara da capa dele (primeiro), e preciso não dormir nos primeiros 5 minutos (segundo)… e aí rola a química. E aí está a capa dele:

love-poster

No site do IMDd ele tem nota 8,1… mas eu nem ligo muito pra isso não…

Fato é que eu acredito que a gente tem que de alguma forma se identificar com aquilo que assiste… seja pela comparação, pela raiva, por querer conhecer algo novo, por querer quebrar tabus… e eu amei a Mickey (Gillian Jacobs)e o Gus (Paul Rust).

Ela retrata pra mim toda a impulsividade, a espontaneidade e o jeito meio louco de ser que eu acho (só pra não dizer que acredito) que eu tenho. Num dos episódios ela vai numa reunião das mulheres que amam demais (calma… não vou contar o final e nem nada disso…), e aí estou eu! Foda? Acho que não, porque pelo menos reconheci algo que ainda não tinha pensado e mexeu comigo.

Já o Gus é o meu lado “oi, não sei o que fazer e dizer”. Ver umas atitudes deles é de “chorar dos nervos”… só por se reconhecer…

Não achei o seriado melosinho… embora tenham personagens melosinhos no meio de tudo, e achei bem realista. Já dizia o velho ditado de que a “arte imita a vida” ou vice versa… que dá na mesma coisa quase!

Bom, espero que gostem da recomendação, e se quiserem, deixar um comentário eu prometo responder 🙂

Beijos,

F.