Mente inquieta

Hoje recorri ao meu conto favorito da casa com meus lápis, canetas, laptop, folhas… pra colocar o pensamento em dia.

20160627_195305

Escutei a história de “Romeu e Julieta” hoje, e quem não conhece essa história, não é?… e sei lá, isso mexeu comigo. Cadê aquele amor a primeira vista? O encantamento? O vamos superar tudo juntos? Tudo bem, não sou a pessoa mais romântica do mundo… mas sabe quando bate?

Também escutei a história de “Sonho de uma noite de verão” e mesmo sendo uma comédia… sabe quando bate de novo?

E aí vem um cara te contar uma história de superação… na qual ele te diz que estando paraplégico ele tem sonhos e quer abrir uma empresa nova, porque antes ele queria gerar empregos para pessoas com o mesmo problema, mas usando o físico e mente de quando ele ainda não era assim… Nossa… mexe com as entranhas da gente… #pedrojanot

Voltei pra casa com um monte de questionamentos:

  • Quais meus sonhos?
  • Onde eu quero chegar?
  • Quem está comigo pra topar o que eu quero sonhar, e até onde eu contribuo com o trabalho do outro?
  • Qual meu tamanho no mundo?
  • Qual minha capacidade de realização, se as vezes, pra sair da cama já é difícil?

Se tiver alguém aí… apareça, vamos trocar uma ideia 🙂

Beijo, F.

 

Você sente solidão, é? Que bom…

landscape-1450116423-gettyimages-186756083-1

Que bom que não sou só eu que me sinto só num mundo extremamente conectado,  onde tudo aparece em tudo (e em geral coisas felizes), e todo mundo parece estar reunido com um monte de gente sempre!… Sim, porque as pessoas não colocam por aí fotos solitárias e sem gente… geralmente…

Sou daquelas que pensa que antes é melhor estar só (ou acompanhada de um bom livro ou filme) do que com qualquer pessoa que não vai te agregar nada… mas que as vezes dá uma dorzinha no coração de estar em casa “mofando”… ah, isso dá.

 

E como é a cultura de onde tu vive?

Vivo numa cidade em que todo mundo namora, ou é casado ou algo do tipo… e que quem não segue esse padrão as vezes é meio deixado de lado. Parece que estou me colocando no último degrau do universo, né? Mas acredite… já morei em outros lugares, e aqui isso é forte!

 

Então, se tu te sente sozinho mesmo com Face, Insta, Snap, Tinder, Happn e afins… bem vindo a um clube que deve ser bem maior… não deve ter só dois instegrantes (eu e você), e sim uma série de gente que precisa se encontrar, trocar ideia e aproveitar o que há de bom na vida!

Quer uma dica legal de seriado que falar um pouco disso tudo? Assiste Touch com o Kiefer SutherlandDavid Mazouz e Gugu Mbatha-Raw (os principais)… tem no Netflix! Vale a pena…

touch

 

Beijão, F.