Tomorrowland: Um Lugar Onde Nada é Impossível

Caraca, tô em um curso de desenvolvimento pessoal… e tem muita coisa na cabeça pra por em ordem, porque passei um dia inteiro refletindo sobre muitas coisas… muitas mesmo! No entanto, eu não poderia ir dormir sem falar de uma das partes do que vivi que todo mundo pode assistir hoje mesmo.

Assistimos um filme chamado Tomorrowland, lançado o ano passado (2015) que é do c****! Quem ainda não viu, vai lá ver a resenha! A nota não é muito alta, mas se você assistir disposto a pensar no que está fazendo no mundo, vale muito a pena!

É um filme que te provoca a pensar no paralelo entre o presente e futuro… Nas tuas crenças pessoais e na forma de enxergar o que tu pode fazer no mundo. Não posso falar muito, por que vou acabar contando o filme… mas vim deixar a recomendação para o final de semana 🙂

Já pensou em fazer a diferença no mundo? Em tornar as coisas simples, e assim resolver problemas complexos? Vai lá, assiste o filme, e depois me conta!

Beijos,

F.

 

Atualizações de dias que parecem meses!

Gente, quanta coisa pode acontecer em dias! Voltar de férias, dar uma parada na corrida (de correr mesmo), viajar de novo, conhecer gente nova, desistir do boy magia, começar aulas de inglês de novo! O ser humano é fantástico mesmo, porque só nós conseguimos nos adaptar a tantas variações em pouco tempo, e no meu caso, thank’s God, com certa facilidade.

De todos os posts que fiz até agora, as breves atualizações são em em relação à:

  • Trabalho: gente… tem que ter amor no que se faz, se não a gente não aguenta. Não tá feliz? Muda! Voltei a trabalhar com uma sede de fazer tudo que é incrível. Tudo bem que eu tenho uma tendenciazinha work-a-holic… mas não sei o que veio primeiro… o amor e depois a tendência ou a tendência de depois o amor…
  • Corridas: parei dois dias de correr, por causa de horários e tal… já tenho prazo e data pra voltar, mas acreditem:  2 dias já fez diferença no peso, no humor e na minha disposição. Que vício maravilhoso e encantador s2!
  • Boy magia: no final das contas não né magina não… é pesadelo… e o amor tem seus momentos de pesadelo… mas veja bem… momentos. Minha vida não vai se tornar um filme constante de terror. Estou leve, decidida e confiante no amor possível de ser vivido com tranquilidade e espontaneidade!
  • Estou indo viajar de novo (há umas três semana estava em Fortaleza e depois Floripa). Dessa vez pra São Paulo para uma ação de desenvolvimento pessoal. Depois eu conto mais disso… O que não posso deixar de contar é que toda vez que vou viajar me bate o “cagaço” de andar de avião! Hhauahua.. se não pudesse andar iria chorar de vontade… como eu posso andar eu choro de medo! Vai entender, né?

Não tenho assistido tantos filmes ou seriados… mas vi Brooklyn essa semana. Gente, que filme lindo! Óbvio que não é a toa que foi indicado ao Oscar.

É um filme que ao mesmo tempo que é leve, trás um drama forte por parte dos personagens. Quem já teve que sair pra morar fora de casa (incluindo a cidade) talvez até se sensibilize mais com o filme. Eu achei encantador! Fica aí como recomendação pra quem ainda não assistiu!

Acho que por hora é isso! Partiu São Paulo! Mando novidades em breve!

Beijos, F.

Beleza Adormecida, A última casa da rua, Albert Nobbs, Tese sobre um homicídio | Filmes, filmes e mais filmes!

Como uma pessoa voraz por filmes que sou, procuro as vezes assistir aquilo que nem parece um filme tão bom, mas que me chama a atenção de algum modo. De ontem pra hoje assisti “Beleza Adormecida”, filme de 2011, que tem a seguinte descrição:

Lucy é uma jovem que vive precisando de dinheiro. Através de um anúncio de jornal, ela é encontrada para prestar um trabalho chamado beleza adormecida.

A capa do filme é a que está abaixo, e a nota no IMDd é 5,3.

Filme_Beleza_Adormecida

Fui então ler algumas criticas, porque depois de assistir todo ele eu fiquei pensando: “WTF?!”. O filme acabou e eu fiquei tentando pensar o que pensar dele! É um filme sobre fetiches, medo de exposição de quem tem certos fetiches… mas o filme me deu uma sensação de ser raso, frio demais, e … não sei. Faltou algo! Parece não ter uma lógica, que ok, eu entendo que muitos filmes não tenham e por isso são bons, mas… faltou algo!

Li que o filme foi inspirado em um livro, e como sempre (ou quase sempre acontece), o filme nunca sai como a nossa imaginação… Talvez eu tente ler o livro pra ver o que “se passa”…

Mas ok, pra não acharem que eu sou sempre só chata e “reclamona”, vou colocar outros filmes que assisti nos últimos tempos, e que esses, eu achei que valeu a pena!

  1. A última casa da rua: bobinho talvez, obvio demais talvez… mas adoro os atores. E no final das contas até me surpreendeu no final.
  2. Albert Nobbs: eu simplesmente amei esse filme! É de uma delicadeza incrível, retrata um momento histórico em que mulheres não tinham voz, muito menos vez em um mundo machista. Coragem é uma palavra que bem poderia descrever a personagem principal desse filme!
  3. Tese sobre um homicídio: não sei se gostei mais do ator ou do filme, afinal eu amo as interpretações do Ricardo Darín (em geral)! É um filme envolvente, que chega a te confundir entre o que é real e o que é imaginação.

Bom, de filmes por hoje é isso!

Bom dia pra quem me lê agora, boa tarde ou boa noite… Aliás, boa vida pra todos nós 🙂

Beijos,

F.

 

Razões pra assistir “Love”, seriado novo do Netflix

Em um final de semana assisti todo a primeira temporada de “Love“, o novo seriado do Netflix. Sim, pra quem não me conhece ainda, sou “apaixonadérrima” por seriado, e fico de luto quando eles acabam, e fico histérica esperando as próximas temporadas.

Só que seriado e filme pra mim tem um negócio meio assim: tenho que ir com a cara da capa dele (primeiro), e preciso não dormir nos primeiros 5 minutos (segundo)… e aí rola a química. E aí está a capa dele:

love-poster

No site do IMDd ele tem nota 8,1… mas eu nem ligo muito pra isso não…

Fato é que eu acredito que a gente tem que de alguma forma se identificar com aquilo que assiste… seja pela comparação, pela raiva, por querer conhecer algo novo, por querer quebrar tabus… e eu amei a Mickey (Gillian Jacobs)e o Gus (Paul Rust).

Ela retrata pra mim toda a impulsividade, a espontaneidade e o jeito meio louco de ser que eu acho (só pra não dizer que acredito) que eu tenho. Num dos episódios ela vai numa reunião das mulheres que amam demais (calma… não vou contar o final e nem nada disso…), e aí estou eu! Foda? Acho que não, porque pelo menos reconheci algo que ainda não tinha pensado e mexeu comigo.

Já o Gus é o meu lado “oi, não sei o que fazer e dizer”. Ver umas atitudes deles é de “chorar dos nervos”… só por se reconhecer…

Não achei o seriado melosinho… embora tenham personagens melosinhos no meio de tudo, e achei bem realista. Já dizia o velho ditado de que a “arte imita a vida” ou vice versa… que dá na mesma coisa quase!

Bom, espero que gostem da recomendação, e se quiserem, deixar um comentário eu prometo responder 🙂

Beijos,

F.

Meus últimos e amados filmes!

Tem um tempo que estou pra escrever sobre alguns filmes que assisti, sobre o que eu achei e recomendações. Talvez a hora seja agora…

Alguns já estão no Netflix (http://www.netflix.com.br)! E as resenhas no IMDb (http://www.imdb.com/).

The age of Adaline (2015)

Filme belíssimo que retrata o desejo interno que temos (acho que a maior parte das pessoas, pelo menos), mas ao mesmo tempo mostra a tristeza de não envelhecer, de ver o tempo e as pessoas passarem. Acho que vale a pena… e pra mim foi uma choradeira só…

Coco Antes de Chanel (2009)

Pra quem gosta de moda, nada melhor que assistir esse filme pra conhecer a vida de uma das mulheres mais importantes dessa área, de personalidade “forte” e destemida e que através da sua história, marcar o mundo até hoje. Confesso que não conhecia a biografia, e depois do filme só fiquei com mais vontade de conhecer a história.

Além do mais o filme é com a Audrey Tautou, que eu amo de paixão!

Whiplash: Em Busca da Perfeição (2014)

“There are no two words in the English language more harmsful than good job”.

Essa frase pra mim resume o filme, que te leva desde a raiva até o desejo de superação e do fazer perfeito. É uma lição de disciplina e dedicação! E é claro, traz também questões que não deveriam existir como bullyng, assédio… e por aí vai!